Itabuna lidera ranking estadual de mortes de adolescentes, diz estudo

A cidade de Vitória da Conquista, a terceira do estado, aparece na 11ª posição entre as 20, com média de 8,12, enquanto Feira de Santana está na 18ª posição com 6,87.

Card image

O estudo que aponta os estados com maior número de adolescentes vítimas de homicídios no Brasil, realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), apontou também as 20 cidades, com mais 200 mil habitantes, que registra os maiores índices.

Além de ser o quarto estado com maior número de homicídios de jovens entre 12 e 18 anos, a Bahia foi a unidade federativa que apresentou o maior número de municípios dentro desse ranking. As cidades que aparecem na lista entre as 20 com maiores médias são Itabuna, Camaçari, Vitória da Conquista, Feira de Santana e Salvador.

Quem lidera o ranking estadual é o município de Itabuna, com média de 11,88. A cidade baiana é a segunda com mais casos, ficando atrás apenas de Serra, no Espírito Santo, que lidera com 12,71. Já Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), tem o segundo maior índice do estado e o quarto maior do país, com 10,64.

A cidade de Vitória da Conquista, a terceira do estado, aparece na 11ª posição entre as 20, com média de 8,12, enquanto Feira de Santana está na 18ª posição com 6,87. A capital baiana fecha a lista de municípios baianos entre as cidades acima de 200 habitantes com mais homicídios de adolescentes no país, com média de 6,87.

No quadro em que apresenta a média apenas das capitais brasileiras, Salvador ocupa a 6ª posição. Conforme o levantamento, esse ranking é liderado por Fortaleza (10,94), seguida por Maceió (9,37), Vitória (7,68), João Pessoa (7,34) e Natal (7,10), que fecha a lista das cincos com maior índice.

Geral
O estudo, em parceria com o Ministério dos Direitos Humanos do Brasil, o Observatório de Favelas e o Laboratório de Análise da Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), engloba os 300 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes e tem como base os dados do ano de 2014 do Sistema de Informação sobre Mortalidade do Ministério da Saúde.

Conforme o levantamento, o Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) é o mais alto desde que começou a ser medido em 2005, com marca de 3,65 adolescentes assassinados entre 12 e 18 anos para cada grupo de mil jovens.